17 de fev de 2016

Batalha: A 5ª Onda (Livro x Fime)



Colocar o livro para batalhar com o filme que foi inspirado no mesmo é no mínimo um ultraje ao escritor e aos leitores. Por isso, estas batalhas (livro x filme) não terão um vencedor, mas sim uma comparação entre eles, e uma busca por sentimentos e emoções em comum e divergentes.
Atenção: Contém spoilers.

Escolha dos Atores

Apesar de Cassie (Chloë Grace Moretz - Hit Girl) ter mais que 1,80m de altura e a atriz apenas 1,63m achei que a personagem caiu como uma luva. Com seu olhar meio sombrio, de quem já sofreu, a frieza de uma Hit Girl e seus cachos dourados os produtores acertaram em cheio.

Liev Schreiber
A escolha de Vosch (Liev Schreiber) também foi certeira, apesar de acreditar que no livro o personagem era mais velho, porém, eles são aliens não é verdade?

A encrenqueira Especialista (Maika Monroe) não me pareceu nada natural e a imaginei mais forte do que é no filme, porém a irritabilidade e o sorriso (ou a falta dele) fizeram dela uma boa opção.

A grande decepção do filme foi Ben Parish (Nick Robinson). Durante todo o livro se fala sobre o maravilhoso sorriso deste garoto, que encanta a tudo e a todos e faz com que todas as portas se abram pra ele... o mais engraçado: Ben Parish não dá UM sorriso durante o filme, e se deu foi tão rápido ou insignificante que tirou toda a importância declarada a ele durante o livro.
Aliás, o porte atlético e o gingado também ficaram de fora. Era pra ser tipo um playboy  e não um menino gente boa, pelo menos foi assim que o enxerguei durante a leitura.

Cadê o Reznik? 

Sargento Reznik e Ben Parish
O grande furo do filme foi não terem colocado Reznik com seu estilo "general marrudo", pois mesmo sendo um personagem manjado (a história toda é, então..) traria um pouco de ação ao filme, o que a sua substituta, uma mistura de Dra. Pam com Reznik não fez.
Além de terem descaracterizado toda a Dra. Pam do livro, uma moça simpática e bondosa, em uma mistura de Sargento + Médica, tornando-a uma espécie de treinadora maldosa e nem um pouco simpática.

Não posso me esquecer das cenas em que os novos recrutas são induzidos a matar os jovens "contaminados"... Estão de parabéns! A aflição ao se ver no espelho com a imagem mesclada ao da sua futura vítima ficou muito boa.

Morte do pai de Cassie

Vosch chega ao acampamento de maneira muito semelhante ao livro, porém, uma das cenas mais legais foram modificadas, onde Cassie deveria ter falado com Vosch antes de ir encontrar seu amigo Brilhantina (excluído no filme), que acaba sendo morto antes de toda a chacina começar, motivo pelo qual Cassie se livra da morte.

Acredito que tenham mudado por não fazer sentido o Zumbi (Ben Parish) ter aproximadamente a mesma idade de Cassie e ser convocado e ela não, logo, impedi-la de entrar no ônibus devido sua idade seria muito estranho.

A morte do pai de Cassie praticamente não aparece no filme, não é possível ver claramente Vosch dando o tiro e o impacto que isso causará em Cassie, o que provavelmente vai perdurar pelos 2 outros livros e filmes.

O País das Maravilhas

Apesar da citação ao País das Maravilhas, o programa não entra em funcionamento no livro, o que seria uma cena muito estranha, parecida com a de Divergente, então o corte fez bem a produção.

A Efemérida

Apesar de no livro serem dedicados diversos capítulos ao ataque do Silenciador a Cassie, transcrevendo sua dor por estar a tanto tempo em baixo do carro, a beira da morte, temendo sair e ser alvejada novamente, no filme a cena ocorre em poucos minutos.

Logo ela está na cama da irmã de Evan Walker e os diálogos entre os dois são extremamente mais resumidos que no livro, bem como a súbita cura de Cassie que logo está andando e saindo em direção a base militar de Wright-Patterson.

No final do filme a triste surpresa, Evan Walker não atirou em Cassie, ele estava realmente a protegendo, fato que com certeza contradiz o livro, onde ele esperou uma oportunidade para a acertar com um tiro, porém acerta a perna por não ter coragem de acertar a cabeça.

O Espírito de Vingança

Na primeira missão do grupo de Zumbi o filme fez uma boa cena, porém pouco fiel ao livro. Apesar de incrementar a tensão do trecho do livro, a morte de Oompa foi extremamente rápida e passou desapercebida entre os outros integrantes do grupo.
Quando Esp está "dando uma de Dorothy", na cena que dá o nome ao livro, onde descobrem que ELES SÃO A 5ª ONDA, há uma indagação muito mais comovente que no filme, afinal, estão matando cidadãos inocentes a mando de um grupo de aliens, porém, praticamente esquecem de falar isso no filme.
Apesar de a morte de Resnik por Esp e Ben ter sido um marco no livro, os produtores decidiram por não matar a Sargente Reznik/Dra. Pam naquela hora, pra que pudesse morrer durante a invasão a base militar.

O Final

Cassie, Sammy e Ben Parish na cena de fuga final.
Gostei do final tanto no livro, quanto no filme apesar de suas diferenças.

Cassiopeia é poupada de seu encontro com Vosch, ao menos nesse filme. Mas acredito que nos próximos virão muito mais ação e quem sabe até tortura o.O

Ben Parish não chega nem perto de ficar tão ferido como no livro, o que poupa seus vários dias de recuperação e permite uma fuga um pouco mais frenética. Aliás, tirar o contato de Cassie com Vosch não foi uma boa pedida para o cinema, onde poderiam ter usado de muita emoção na cena em que o general ameaça matar seu irmão e quase, QUASE aperta o botão de executar.

O filme termina sem um final, assim como o livro que aguarda suas 2 continuações. E deixa a sensação de "quero mais", misturada com uma decepção, tanto dos leitores, quanto dos espectadores que se sentiram enganados pelo trailer empolgante, que levou milhares de pessoas ao cinema e livrarias.

A história não se comprometeu com algo diferente, apenas um novo drama adolescente oriundo de um livro Young Adult*, com temática distópica, apocalíptica e mais juvenil do que o esperado, porém, tanto o filme quanto o livro estão de parabéns para aquilo que propuseram cumprir. Fizeram com sucesso esta receita de sucesso dos atuais best-sellers.

Nenhum comentário:

Postar um comentário