1 de fev de 2013

Resenha - A menina que roubava livros

Eu realmente tinha decidido fazer postagens mais pra frente, quando o novo site estive-se no ar, mas realmente não consegui me segurar após ler: A menina que roubava livros.
Sempre me culpo de ter um livro na prateleira e demorar tanto para ler, mas este realmente foi demais eu não sei como pude deixar uma preciosidade desta parada na estante. O livro agora entrou para a lista de favoritos, senão, o melhor livro que já li, seguindo o mesmo estilo de O caçador de pipas.

Creio que a história e o jeito como é narrada é inveja para muitos escritores, que já prezaram muito este livro.
A história é perfeita, um pouco confusa em algumas partes e requer um leitor atento e experiente, isso porque quem a conta é uma amiga de muitas pessoas e inimiga "cruel" de todos: A Morte.

Que por uma forma de gentileza não é expressa no livro como algo ruim e que devemos temer (leia o segundo trecho do livro que coloquei), mas sim uma eximia amiga, capaz de cuidar de cada pessoa e que sente muito ao tirar a alma de um ser inocente.

O livro conta a história de Liesel, uma garotinha que tão pouco sabia ler e escrever e logo quando criança tem que se despedir de sua mãe de sangue, pensando ir morar em outra casa com seu irmão, mas é então que no caminho para a casa dos novos pais, em um trem, ocorre o primeiro encontro da Morte com esta linda garotinha, que vê seu irmão cair morto, em uma cena escrita de forma magnifica e que já demonstra ao leitor como será o livro, que se passa em pleno período das Guerras.

Logo no enterro de seu irmão Liesel começa sua brilhante carreira, roubando o Manual do Coveiro, que viu caído na neve. É uma pena esta garotinha não saber ler, mas logo chega à casa de seus novos pais, que moram por uma questão esquisita na Rua Himmel. Mas como uma família tão conturbada poderia morar em uma rua com o nome de Céu? Sim é algo inexplicável, até a chegada da adorável Liesel.

Entre confusões e desenrolações, você leitor começa a conhecer a garotinha marrenta e forte que ama ler e tem como melhor amiga desconhecida a Morte. Com certeza irei indicar este livro para qualquer leitor que encontrar e para aqueles que já leram e embarcaram nessa história em uma Alemanha nazista, comandada por um Führer medonho, e leram a cada linha a história de Liesel, uma menina que roubava livros, conversarei e discutirei sobre os melhores assuntos.

Sem querer ser clichê, já sendo, preciso escrever o que esta na contracapa do livro: Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler.

Separei dois trechos para que sintam, como uma amostra, o gostinho da história:
Pág. 184
No subsolo, em Molching, na Alemanha, duas pessoas paradas conversam num porão. Parece o começo de uma piada:
- Um judeu e uma alemã estão parados num portão, certo?...
Mas aquilo não era piada.
Pág. 221
Foi um ano para ficar na história, como 79 ou 1346, para citar apenas alguns. Esqueça a foice, diabos, eu precisava era de uma vassoura ou um rodo. E precisava de umas férias.
UMA VERDADEZINHA
Eu não carrego gadanha nem foice.
Só uso um manto preto com capuz quando faz frio.
E não tenho aquelas feições de caveira que vocês parecem gostar de me atribuir à distância.
Quer saber a minha verdadeira aparência?
Eu ajudo. Procure um espelho enquanto eu continuo.

Achei este vídeo  feito por algum fã do livro, que juntou cenas de vários filmes para formar um trailer para um possível filme do livro:

                     

5 comentários:

  1. Eu amo do fundo de minha alma esse livro... Foi sem duvida como você diz o melhor livro que já li. A historia, o romance, o Rudy... me fizeram chorar por dias e dias... Só consegui ler 2 vezes, tenho vontade de ler mais,mas... sei que vou chorar ! É uma mensagem incrível que este livro transmite, algo... surpreendentemente perfeito. AMO O LIVRO ! Parabéns pela resenha, não achei nenhuma outra que transmiti-se a emoção que o livro passa para mim.... Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que tenho que agradecer :) Realmente é muito bom entrar e ver um comentário destes, apesar de não estar postando mais no blog (por enquanto) entro constantemente para ver e são estes comentários que fortalecem e alimentam o blog, e principalmente me animam, sabendo que a minha escrita esta chegando realmente à pessoas.

      Excluir
  2. Anônimo5/03/2013

    Ameeeei o livro. Já li 2x. Mas o autor não tinha o direito de bombardear a rua Himmel...Não a rua Himmel

    ResponderExcluir
  3. gostei muito
    ja estou seguindo
    @livroazuis
    livro-azul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Anônimo1/16/2014

    Eu achei que nunca encontraria este blog e não poderia ler esta resenha , que posso dizer .. Me deixou instigada para ler esse livro , que realmente me parece ser magnifico ...

    ResponderExcluir