31 de out de 2012

Resenha - Um certo capitão Rodrigo


Simplesmente adorei o livro, gostei mais que Ana Terra, o primeiro volume da série O tempo e o vento. Um certo Capitão Rodrigo é uma leitura fácil, pois mesmo eu não estando acostumado a ler clássicos me dei super bem com os personagens e com o autor.

Recomendo que se for ler ele, tenha pelo menos em mente a história do livro Ana Terra. Pergunte para algum amigo que leu, ou entre em sites spoilers, ou melhor ainda: LEIA O LIVRO! :)

Mas continuando... A história começa mesmo a partir de 1828. Pedro Terra, filho de Ana Terra, tem uma filha chamada Bibiana. Uma garota linda, mas que até o momento nunca quis saber de homem algum, algo que para uma família tradicional chega quase a ser um sacrilégio. Até ai tudo bem, até que chega um homem marrento na cidade de Santa Fé no Rio Grande do Sul, um homem que parecia não ter boa índole e claramente não combinar com a vida pacata do campo. Esse homem era o Capitão Rodrigo Cambará
, que alegre, chega bem no dia dos finados e para seu cavalo próximo à casa dos Terra, onde jazia Ana Terra e começa, sem intenção a tocar e cantar uma cantiga, o que deixa todos, mas principalmente Pedro Terra, muito incomodados.

Capitão Rodrigo não demora muito a se apaixonar por Bibiana, que estava prometida para Bento Amaral, filho do Coronel Ricardo Amaral, a maior autoridade da província e em um casamento, onde compareceu toda a cidade, ocorre um enfrentamento entre os dois, que para mim, além do final, foi uma das partes mais marcantes no livro e Rodrigo e Bento combinam um duelo atrás do cemitério.

"...
      - Pode pegar a adaga! - gritou-lhe Rodrigo. - Não brigo com homem desarmado.
      Bento correu, apanhou a arma e tornou a arremeter. Por alguns instantes os dois inimigos terçaram armas, disseram-se palavrões, enquanto suas camisas se empapavam de suor. Por fim se atacaram num corpo-a-corpo furioso, cabeça contra cabeça, peito contra peito. O braço direito de Rodrigo estava no ar, seguro à altura do pulso pela mão esquerda de Bento, cuja direita tentava aproximar a ponta da adaga do baixo-ventre do adversário.
       - Vou te botar minha marca na cara, pútsula!
       - Vou te tirar as tripas para fora, corno! ..."

A batalha contínua, e ao que tudo indica só um irá sair vivo. Além da história magnífica, aprenda um pouco sobre o Rio Grande do Sul, alguns conhecimentos e gírias de época na região e a chegada de imigrantes alemães à região.

Ame e odeie um certo capitão que encanta há anos milhares de pessoas, um capitão conhecido como Rodrigo Cambará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário