23 de mai de 2012

Resenha - Carta ao rei

Quase não acredito, mas estou com muita sorte nas leituras do mês de maio.
Estava dando uma olhada nos livros da biblioteca quando bati o olho na capa desse livro e já sabia que algo muito bom me esperava, por sorte não errei minha previsão.

Carta ao rei é um livro Holandês escrito por Antonia Johanna Willemina Dragt (Tonke Dragt) no ano de 1962. Este foi seu segundo livro, que publicado originalmente na Holanda encanta os jovens a mais de 50 anos, merecendo o prêmio europeu "Griffel der Griffels".

Imagine que você está prestes a virar cavaleiro, já tendo passado por escudeiro do rei e outras funções importantes, e a única condição seria ficar em retiro durante a noite, sem conversar com seus companheiros que também estariam prestes a ganhar o título e sem ter quer qualquer contato com o mundo exterior.

Para algumas pessoas esta seria uma tarefa fácil, e era exatamente isto que Tiuri, filho de Tiuri, o Destemido, deveria fazer, porém no meio da noite, percebe naquele silêncio solene, alguém batendo a porta da capela com um pedido de socorro urgente. O jovem hesita em abrir a porta, mas comandado por um sentimento interior a abre, desrespeitando a regra, encontra ao lado de fora um senhor de idade, encapuzado. O homem parecia estar com medo, e quando vê Tiuri trata de chama-lo para fora da capela, em um lugar onde ninguém poderia ouvi-los.

O homem assustado trazia em suas mãos uma carta, que era endereçada ao rei de Unawen, e nela continha um aviso urgente, que não poderia cair de nenhuma forma em mãos inimigas. Tiuri precisava levar a carta não muito longe da capela, até ao Cavaleiro Negro do Escudo Branco, que se incumbiria da missão e mesmo assim iria dar tempo dele voltar a capela e continuar em retiro.

Saí em disparada ao encontro do tal cavaleiro, é uma viagem curta e logo o encontra, mas não nas condições que ele precisava, pois o cavaleiro, que tinha fama de ser invencível, jazia praticamente morto, tinha sido vitima de uma emboscada dos cavaleiros vermelhos de Eviellan, que procuravam a carta.

O Cavaleiro Negro de Escudo Branco, diz a Tiuri para que ele próprio entregue a carta ao rei, mas que deveria tomar cuidado, pois homens tentariam mata-lo para impedir que aquela carta chegasse ao seu destino. Sem saber o que dizer, mas com todo o ensinamento que tinha sido dado a ele, aceita a missão do cavaleiro negro. Tiuri precisa então vencer uma jornada cheia de perigos, transportando o leitor para os tempos remotos da Idade Média.

Nenhum comentário:

Postar um comentário